A roda dos alimentos portuguesa

                                                       Criada em 1977 para a campanha de educação alimentar Saber comer é saber viver, a roda dos alimentos portuguesa foi reformulada em 2003, no quadro do programa Saúde XXI, como resultado de um protocolo assinado entre a Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto e o Instituto do Consumidor.
A evolução dos conhecimentos científicos, as alterações demográficas da população portuguesa, do seu consumo alimentar e estilos de vida, foram os factores que determinaram a reestruturação da roda dos alimentos e sua representação gráfica que orienta as escolhas e as combinações de alimentos, que devem fazer parte de uma alimentação diária completa, equilibrada e variada.

A nova roda dos alimentos respeita a forma circular da representação gráfica original, uma vez que a literacia visual das pessoas está já familiarizada com esta configuração, porque o círculo é a metáfora do prato utilizado nas refeições e na medida em que o círculo não hierarquiza os alimentos, mas reconhece-lhes igual importância.

A roda dos alimentos é composta por grupos de diferentes tamanhos que permite identificar os alimentos e a sua proporção ideal na alimentação diária, incentivando a um maior consumo dos alimentos pertencentes aos grupos de maior dimensão e a um menor consumo dos alimentos que estão nos grupos de menor dimensão. Os alimentos presentes em determinado grupo possuem, por sua vez, propriedades nutricionais semelhantes, devendo ser regularmente substituídos entre si de modo a assegurar a variedade alimentar.

As principais diferenças em relação à antiga roda alimentar consistem na subdivisão de alguns dos anteriores grupos, tendo passado de cinco para 7 grupos, e no estabelecimento de porções diárias equivalentes:

Cereais e derivados, tubérculos – 28%

Hortícolas – 23%

Fruta – 20%

Lacticínios – 18%

Carnes, pescado e ovos – 5%

Leguminosas – 4%

Gorduras e óleos – 2%

Adicionalmente, a presença da água, que não possui um grupo próprio, surge agora representada no centro da roda, visto que faz parte da constituição de quase todos os alimentos e é fundamental à vida. Por esta razão, a necessidade de hidratação requer um aporte hídrico significativo, de pelo menos 1,5L por dia.

Cada um dos grupos apresenta, assim, funções e características nutricionais específicas, pelo que todos eles devem estar presentes na alimentação diária. Dentro de cada grupo estão, pois, alimentos nutricionalmente semelhantes, podendo e devendo ser regularmente substituídos uns pelos outros de forma a assegurar a já referida variedade alimentar necessária.

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas