Alimentos probióticos realmente melhoram sua saúde?

                                                            Este tipo de alimento industrializado está ganhando cada vez mais espaço nas gôndolas dos supermercados.

  Eles são conhecimentos como nutracêuticos ou alimentos funcionais e fazem reivindicações insistentes em propagandas afirmando que promovem benefícios em nossa saúde.

Os seres humanos têm vivido sem eles muito bem, mas, nos últimos 10 anos, cresceu absurdamente o número de pessoas que estão fascinadas com os "tais poderes" destes alimentos e já sentem que não podem viver sem eles para ter uma boa saúde.

  Na Inglaterra, quase 60% das famílias já consomem diariamente as bebidas probióticas, o que já gera um faturamento anual para as empresas  de R$ 500 milhões de reais.

O que acontece é que o mercado alimentício nos países ricos já está totalmente saturado, não dá para as indústrias venderam mais apenas colocando mais comida nas prateleiras. É necessário mexer no emocional das pessoas, "criar alimentos biotecnológicos" para isso.

A empresa pioneira nesse ramo foi a Yakult. Surgiu no mercado europeu em 1990 com o leite fermentado com bactérias saudáveis, as Lactobacillus casei shirota. Lançada no Reino Unido em 1996 em uma versão um pouco mais doce.

A embalagem em miniatura chamava a atenção das crianças, desse modo, acabava tornando-se atraente para elas. As vendas decolaram e em poucos meses já estavam faturando milhões de dólares. A Danone seguiu essa tendência lançando mais tarde o Actimel, logo em seguida fez uma aliança estratégica com a Yakult, detendo 20% das ações da empresa.



Estudos realizados na Universidade de Massachusetts mostraram que o iogurte probiótico aumenta a virilidade masculina, contribuindo para a boa qualidade do sêmen. Ratos que consumiram este tipo de alimento tiveram seus testículos aumentados em até 5%. Além disso, estes alimentos favorecem o metabolismo e estimula o emagrecimento.

Vários iogurtes vendidos no mercado são, de fato, probióticos, mas não ressaltam isso ao consumidor. Procure na composição das embalagens os nomes Bifidobacterium e Lactobacillus, estes não nomes de bactérias que fazem bem quando consumidas em nossa alimentação.

Apesar do marketing exagerado em torno deles, os alimentos probióticos possuem diversos benefícios provados pela ciência. Ao consumir, dê preferência para aqueles com baixo teor de açúcar.

Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas